Legião da Fraternidade

O Aviso dos Corvos

Ramatis

   O planeta Terra foi construído pela espiritualidade, dentro dos desígnios divinos da evolução. Sua finalidade é, e sempre será até a sua extinção, a de abrigar um plano de provas e de expiações.

      A Terra não está programada para ser o paraíso que muitos imaginam ou desejam para ela. Mesmo porque a evolução espiritual em seus estágios mais avançados não comporta a vida na matéria.

      Assim, os homens devem desvincular a idéia de evolução material do conceito de evolução espiritual. No atual ciclo percebe-se claramente que, apesar dos ganhos tecnológicos, faz-se pouco uso deles através do enfoque espiritual, e os erros do passado longínquo são repetidos de modo crescente. Numa prova que os homens se deixam cegar pelas ilusões materiais, em detrimento da realidade de seus respectivos espíritos.

      A continuidade desse estágio de equívocos renovados provoca então a mudança do rumo estabelecido para muitos que aqui se encontram encarnados, definindo uma quase estagnação espiritual, agravada por estímulos grosseiros daqueles que ignoram Deus. E isso exige a intervenção da espiritualidade para que os objetivos primordiais do planeta sejam retomados.

      O astro intruso surge para fechar um ciclo evolutivo e iniciar outro, que na Terra denominam de Nova Era, sem suporem, entretanto, que ela não está delimitada por datas estabelecidas pelos homens, mas por acontecimentos determinados por Deus para o bem da humanidade.

      No presente século os homens testemunharão fatos que há alguns anos eram tidos como praticamente impossíveis, ou passíveis de acontecerem somente no futuro de longuíssimo prazo. A aproximação do astro intruso, juntamente com o superaquecimento planetário, resultado da ação nefasta dos homens sobre a Natureza, instigam a força do elemento água, que suporta a grande carga energética do orbe.

      O mar avançará, os ventos serão mais fortes, os ciclones e tornados mais comuns, mesmo em áreas onde eles não existiam na história recente. O clima será fortemente afetado em todo o globo, com inversões climáticas significativas de calor para frio e vice-versa. O magnetismo do planeta se enfraquecerá, e a proteção da camada de ozônio será menor. A Terra está doente porque os homens com suas imperfeições morais e espirituais desfiguraram a obra divina.

      Urge, dessa forma, o compromisso de cada homem com a própria evolução espiritual. Tenham a consciência de que precisam buscar a luz divina irreversivelmente.

      Os anos finais do atual ciclo serão cantados pelos corvos. Eles aparecerão através do planeta inicialmente de forma discreta, e depois em reprodução crescente devido ao desequilíbrio ecológico, o que chamará a atenção dos homens. Em várias partes eles serão vistos em grande número como sinais da destruição, o que realmente ocorrerá com o final do atual ciclo. E em outras eles serão vistos como o reinício dos acontecimentos e de tempos melhores, o que também é pertinente com o nascimento do novo ciclo de Saint-Germain.

      Na Índia, o corvo com seu grasnido é apontado como mensageiro da morte, mas na China é entendido como uma ave que traz luz ao mundo. Tudo dependerá do enfoque que cada um quer dar à próxima mudança de ciclo, mas os dois sentidos se complementam.

      Portanto, conclamo a todos que reflitam sobre suas respectivas condições espirituais no planeta. Curem-se enquanto é tempo, pois esse é um trabalho que cabe a cada homem realizar por si mesmo. Concedam ao próprio espírito a chance de uma vida de luz, mesmo com as dificuldades que se aproximam.

voltar-